Serialização e deserialização

Definição

No java-restify, serialização se refere ao mecanismo utilizado para escrever o corpo da requisição ; e deserialização se refere ao mecanismo utilizado para ler o corpo da resposta.

Ambos são feitos de maneira transparente; a serialização se aplica ao parâmetro do método que representa o corpo (anotado com @RequestBody, no caso das anotações padrão), e a deserialização se aplica ao tipo de retorno do método.

Formatos

O formato utilizado na serialização e deserialização é determinado pelo cabeçalho Content-Type.

O java-restify fornece várias implementações para lidar com tipos específicos de conteúdo, e essas implementações também influenciam argumentos e retornos de método que podem ser utilizados.

Os serializadores, responsáveis por converter um objeto para um determinado formato e escrever no corpo da requisição, são implementações da interface HttpMessageWriter.

Os deserializadores, responsáveis por converter o corpo da resposta (em um formato qualquer) para um objeto, são implementações da interface HttpMessageReader.

Essas duas interfaces extendem HttpMessageConverter, que fornece o tipo de conteúdo que aquele objeto é capaz de lidar. Caso você precise serializar/deserializar formatos não suportados pelo java-restify, basta implementar HttpMessageWriter (para serialização) ou HttpMessageReader (para deserialização) ou ambos, e registrar seu converter customizado.

import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.ContentType;
import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.converter.HttpMessageReadException;
import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.converter.HttpMessageReader;
import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.converter.HttpMessageWriteException;
import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.converter.HttpMessageWriter;
import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.request.HttpRequestMessage;
import com.github.ljtfreitas.restify.http.client.message.response.HttpResponseMessage;
public class MyCustomConverter implements HttpMessageReader<Object>, HttpMessageWriter<Object> {
@Override
public ContentType contentType() {
return ContentType.of("text/whatever");
}
@Override
public boolean canWrite(Class<?> type) {
// verifica se essa implementação é capaz de serializar o tipo de objeto
return false;
}
@Override
public void write(Object body, HttpRequestMessage httpRequestMessage) throws HttpMessageWriteException {
// escreve o objeto no corpo da requisição
}
@Override
public boolean canRead(Type type) {
// verifica se essa implementação é capaz de deserializar a resposta para esse tipo de objeto
return false;
}
@Override
public Object read(HttpResponseMessage httpResponseMessage, Type expectedType) throws HttpMessageReadException {
// lê a resposta e converte para o objeto esperado
return null;
}
}
MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.converters()
.add(new MyCustomConverter())
.and()
.target(MyApi.class)
.build();

Os únicos converters registrados por padrão são capazes de deserializar qualquer tipo de conteúdo (Content-Type=*/*), e podem apenas ler respostas.

As demais implementações fornecidas pelo java-restify estão em artefatos separados, e serão registradas automaticamente caso estejam disponíveis no classpath; basta incluir a dependência adequada para o tipo de contúdo que deseja utilizar. O java-restify já fornece objetos capazes de lidar com os formatos application/json, application/xml, text/plain, text/html, application/x-www-form-urlencoded, multipart/form-data e application/octet-stream.

// todos os formatos listados acima, se disponíveis no classpath, serão registrados
MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.target(MyApi.class)
.build();

Também é possível implementar um controle fino dos converters utilizados, selecionando apenas os que fizerem sentido para o seu caso de uso.

MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.converters()
.json() //apenas json será automaticamente registrado, se estiver disponível no classpath
.and()
.target(MyApi.class)
.build();
MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.converters()
.xml() //apenas xml será automaticamente registrado, se estiver disponível no classpath
.and()
.target(MyApi.class)
.build();

Eventualmente também pode ser necessário desligar o registro automático dos converters disponíveis no classpath.

MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.converters()
.discovery()
.disabled() // desabilita a descoberta automática de converters
.json()
.and()
.target(MyApi.class)
.build();

Caso você registre algum converter customizado, as configurações padrão do java-restify serão sobrescritas e apenas os converters registrados manualmente serão utilizados.

MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.converters()
.add(new MyCustomConverter()) //apenas esse converter será utilizado
.and()
.target(MyApi.class)
.build();
// demais converters, se forem necessários, também devem ser incluídos explicitamente
MyApi myApi = new RestifyProxyBuilder()
.converters()
.add(new MyCustomConverter())
.json() // além do converter acima, json também será suportado, se estiver disponível no classpath
.and()
.target(MyApi.class)
.build();

Formatos suportados

O java-restify fornece implementações para alguns tipos de conteúdo: